Osmose Reversa

Porque você deve utilizar a Osmose Reversa na sua farmácia de manipulação

A farmácia de manipulação é o ambiente em que medicamentos podem ser sintetizados de acordo com a necessidade específica de cada paciente. É uma indústria que cresce a cada dia no Brasil e segue padrões de qualidade para garantir a segurança do indivíduo ao fazer uso da substância.

Como nasce um medicamento?

O processo como um todo é complexo, mas três etapas são as fundamentais que se aplicam a todos os casos.

  • Identificação: a receita médica é avaliada pelo farmacêutico, que irá realizar os primeiros cálculos e definir a quantidade total de matéria-prima para produzir toda as doses necessárias para o tratamento ser concluído.
  • Pesagem e ajuste de volume: essa etapa é essencial para o sucesso da manipulação. O farmacêutico responsável irá usar equipamentos de altíssima precisão para garantir que o peso dos componentes está exato, pois a medida do princípio ativo é essencial para que o tratamento cumpra as expectativas do paciente e da equipe de saúde. Nessa mesma etapa se define o volume que esse preparo irá ocupar, dependendo se o resultado esperado são cápsulas, comprimidos ou um líquido.
  • Mistura: uma das últimas etapas do processo. É quando o profissional irá juntar os componentes para criar um só medicamento. A mistura garante que todas as unidades do composto tenham exatamente as mesmas características físico-químicas. É necessário que os comprimidos, por exemplo, tenham a composição uniforme, para garantir que o paciente irá tomar sempre a mesma dose, e a que foi indicada pelo médico.

Todo o processo é regulamentado por normas técnicas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), pré-requisitos que a matéria-prima deve ter para ser usada na produção de medicamentos, sendo características que variam de substância para substância.

A importância dos padrões de qualidade.

Quando um paciente busca um remédio, é lógico se pensar que possua alguma disfunção no organismo. Os padrões de qualidade são as normas reguladoras que garantem a segurança na fabricação, distribuição e consumo do medicamento. O farmacêutico é o profissional registrado para esse tipo de serviço, uma vez que faz parte da sua formação lidar com esse processo.

O ambiente e materiais têm função-chave na manipulação do fármaco. Tudo deve estar extremamente bem esterilizado, pois a contaminação da matéria-prima fará com que o composto perca o seu efeito, ou até mesmo se torne tóxico ao organismo, levando a consequências severas. A própria água utilizada em processos de mistura, ou até mesmo para resfriar equipamentos, deve seguir normas que regulam o pH, radioatividade e condutividade elétrica, para garantir a maior higiene possível.

Osmose reversa: O que é e por que é importante?

O tratamento de água pode ser feito de inúmeras maneiras, mas a que tem mostrado melhores resultados é a osmose reversa. Primeiro, vamos entender o que é a osmose.

Esse processo ocorre naturalmente nas células, e foi levado ao laboratório por representar uma maneira eficiente de regular a quantidade de solutos e solventes em uma mistura. Trata-se de um mecanismo em que, através de uma membrana muito fina, o solvente, como a água, passa de um meio para o outro. Quando a concentração de um soluto, como o sal, está muito baixa, a água tende a sair desse meio e entrar onde a concentração é maior, deixando, no final, a situação normalizada e os meios isotônicos (quando a concentração se iguala).

A osmose reversa acontece de maneira oposta. A membrana utilizada é um pouco mais seletiva, para garantir que apenas o solvente irá passar de um lado para outro. Assim que esse sistema é estabelecido, aplica-se uma pressão no meio hipertônico (maior concentração), para que o solvente migre para o meio hipotônico (menos concentrado), fazendo com que a solução fique ainda mais dissolvida, e a água se torne mais pura.

Esse método já é usado em alguns países para tornar a água do mar, potável, mas também se aplica na indústria farmacêutica, por fornecer um resultado muito mais puro, com qualidade superior. Ideal para aplicações laboratoriais, na composição do medicamento em que a água é um veículo e na manutenção dos equipamentos.

O modelo de purificação da osmose reversa apresenta inúmeras vantagens em relação às outras técnicas. Por exemplo, comparando os equipamentos necessários para a osmose e os relacionados à destilação, os primeiros ocupam muito menos espaço em relação ao segundo meio, fazendo o ambiente ser muito melhor aproveitado.

O uso de membranas com permeabilidade seletiva garante que quase 100% dos resíduos sólidos sejam filtrados, e mesmo os menores elementos possam ser removidos da água, como bactérias e outros microrganismos contaminantes.

A instalação do equipamento pode ser um pouco trabalhosa, mas com o tempo a sua farmácia de manipulação irá economizar muito com água, uma vez que esse processo possui um alto rendimento, e não desperdiça tantos recursos hídricos quanto os outros métodos. Além de reduzir gastos diretos, por não ser mais necessário operar equipamentos pesados, lentos e de difícil manuseio.

Normas técnicas e reguladoras

Por se tratar de um serviço que afeta diretamente a qualidade de vida das pessoas, diversas normas são criadas através de portarias da ANVISA. Elas regulam o funcionamento de farmácias de manipulação, uma delas é a obrigatoriedade de contar com um sistema próprio de filtragem de água.

Define-se que a água utilizada em manipulação deve ser tratada e armazenada sob condições de extrema esterilização, por no máximo 24 horas, para evitar contágio por agentes patogênicos. Periodicamente ela deve ser testada para garantir os padrões de qualidade e características físico-químicas. Os resultados devem ser armazenados e registrados para futuras consultas, sempre respeitando todas as características ideais para o uso farmacêutico.

A água utilizada na fabricação do medicamento deve ser obtida diretamente no lugar em que o processo será realizado, e é mantida em temperaturas altas para prevenir a multiplicação de organismos contaminantes.

Todo o processo deve seguir as regulamentações e previsões legais, para garantir a segurança do paciente e do farmacêutico que trabalha com os reagentes. Por ter potencial benéfico ou danoso, para os pacientes que necessitam de tratamento, todo o preparo deve ser feito com a máxima cautela, e a osmose reversa representa um melhor custo-benefício para a produção de água potável, além de qualidade maior na filtragem.